MAPA DE VISITAS MUNDIAIS

free counters

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

III PASSEIO DE PANASCOS

Domingo, nove de Novembro, nove e vinte da manhã, oito graus de temperatura, sol a despertar por entre o nevoeiro, e aí estamos nós, (Filipe, Quim, Carlos, Francisco, Gonçalo, Pedro e Luís), prontinhos para iniciar o III Passeio de Panascos, que para quem não conhece é uma pacata aldeia situada a cerca de meia dúzia de quilómetros da Vila de Sardoal.
Os 40km`s que nos foram apresentados pela organização como sendo de dificuldade média, de repente se estenderam por trilhos agressivos e muito exigentes, quer do ponto de vista físico quer do ponto de vista técnico, contrastando-se regularmente, entre vertiginosas descidas e demolidoras subidas.
Para nós decididamente que este passeio não trará grandes recordações, pois aconteceu-nos de tudo um pouco…
Foram inúmeros enganos de percurso, desistências por desmotivação e fadiga, furos, correntes partidas e também as indesejáveis quedas, felizmente sem consequências de maior.
Agora se calhar há que reflectir...
Em minha opinião, a grande generalidade dos bttistas que vão fazer um passeio domingueiro, pretendem antes de mais, pedalar, e em segurança. O que eu vi e ouvi foi muita gente a queixar-se que tiveram que andar muito com as bikes à mão. Isto quer dizer que a maioria das subidas e descidas, tinham uma inclinação tal, que se tornaram inacessíveis para muitos, talvez até para a maioria. Agora eu pergunto, será que é isto que os bttistas esperam dum simples passeio?
Também a marcação do percurso poderia e deveria estar melhor. Algumas fitas eram pequenas e estavam em locais pouco visíveis o que originou com que alguns se perdessem do percurso traçado, o que desmotiva, acreditem!
Também as travessias de alcatrão poderiam estar mais seguras, pelo menos uma não tinha nenhum elemento da organização o que tornou essa travessia em meu entender perigosa, começando aqui inclusive os primeiros enganos no percurso.
Em suma, acho que com estas questões melhoradas e com a escolha de trilhos mais acessíveis a todos, que a organização dos Panascos tem ali geografia para apresentar um percurso de grande nível, haja pernas…
A contrabalançar com esta mala pata estão a excelente canjinha a feijoada e claro, o tintol.
Um agradecimento especial ao Igor, bttista organizador, que me cedeu um elo de engate para a corrente, permitindo assim com que eu concluísse o passeio.
Para os nossos “quédistas”, uma rápida recuperação, que já sabem, p´ra semana há mais, mas esperemos com melhor sorte, divirtam-se!

Texto: L.I.
Fotos: F.M.









10 comentários:

Anônimo disse...

Pois é, que passeio este. Foi uma grande sova. Pena realmente a grande quantidade de subidas praticamente impossíveis de fazer em cima da bike (algumas até a pé custaram) e às descidas em q a roda de trás teimava em levantar ;) Passámos sem dúvida por trilhos espectaculares mas a escolha da rota n foi a melhor, pq concerteza poderiam fazer um passeio muito mais agradável uma vez q se tratava de um "passeio" e não de uma prova de resistência (física e psicológica). Um conselho aos organizadores: para o IV Passeio façam as marcações de bike, e não de mota ;)

Boas pedaladas, Gonçalo Coelho

Anônimo disse...

Eu que infelizmente ou não ó fiz 22 km´s tive pena de não acompanhar o resto do pessoal, mas o joelho não ajudava e fadiga acompanhava, porque havia trilhos muito bonitos mas exigente.Um passeio deve ser sempre efectuado pela organização de bicicleta e não de mota como aconteceu porque o passeio de btt é de btt e não uma peregrinação(promessa) a pé a empurrar a bike.
Boas pedaladas, Pedro Diogo

Anônimo disse...

Pois realmente foi um passeio que pela zona geográfica já se fazia prever que não seria pêra doce, no entanto, e pela parte que me toca, passou de pêra doce a pêra amarga, tal não foram a quantidade metros agarrado à minha bina, os dois a disputar quem chegaria mais depressa ao final da descida.
O joelho encontra-se em recuperação, embora duvide que esteja em condições para pedalar no próximo fim de semana.
Para finalizar, e como ja foi dito, o manjar estava excelente e terminou da melhor forma possível, com um belíssimo arroz doce.
Aproveito também para desejar as melhoras do Quim.

Abraço

F.M.

Anônimo disse...

Mto boas as fotos ...
N.G.

Vale De Horta disse...

Estou a ver que o passeio passou de passeio a resistencia dura! O pessoal aqui do vale de horta também estev para ir...mas dpois á ultima da hora decidimos a não ir, ficamos apenas pela simples volta domingueira.
O pessoal do BTTCABEÇODASAGUIAS vai a São Lourenço?

Boas pedaladas

Anônimo disse...

Bem meus amigos, já disseram praticamente tudo sobre o passeio de btt dos Panascos, embora não tenha sentido a dureza de todo o percurso na pele, acredito em tudo o que descreveram, no que me toca, posso dizer que efectuei 24km e só não fiz os 40km porque se apoderou de mim uma forte dor de costas, por isso optei por não ir para os 40km, é caso para dizer, que abençoada dor, salvou-me de um massacre, pelo que disseram só pode, bem, a abençoada dor já se está a tornar enfadonha, até a data ainda não se foi embora, se calhar tenho que ir para a baixa, para o Joaquim e o Filipe rápidas melhoras, porque as Baiks não podem estar muito tempo no descanso. Até breve,,,,,,,,,,,,,,

PS: Carlos Cabedal

Anônimo disse...

Pois é camaradas depois de uma semana de trabalho pensava eu que me ia divertir um pouco em mais um passeio domingueiro, sim passeio, porque quando li o panfleto dizia que era um passeio e não uma peregrinação a Fátima.
Para o próximo evento escolham os trilhos de bike (para ver o que é amar Deus) e não de quad.
Os primeiros 20 km tudo bem porque quando entramos na onda do btt também não esperamos a vida fácil. Agora será que já não tinham mais trilhos sem ser aqueles dos últimos 20km?, porque nem aqueles que treinam todos os dias faziam aquele percurso em condições normais.
Agora é assim quando organizam algum evento, não é por amor à camisola mas sim para fins lucrativos, e por essa ordem de ideias para o próximo evento secalhar vamos ter no terreno a própria organização.
De resto, a feijoada esteve boa, bem como o a farmacêutica que disponibilizou os medicamentos necessários para duas aparatosas quedas que me custou duas bisnagas de pomada, um desviador XT, uma manete formula oro K18 e muitas dores no corpo e fiz 15 km sem travão de trás e sem mudanças.
Segunda-feira ao levantar parecia um velho de 80 anos que já lhe tinha dado 3 AVC´s. De resto, é tudo boas melhoras para o Filipe, já que os outros se safaram :D. Eu cá vou andando todo bresuntado.

P.S. Já agora necessito de uma manete formula oro k18 direita. Quem tiver alguma por favor contacte o btt cabeço das águias.

Boas pedaladas...

ASS: J.Lopes

Anônimo disse...

Queria deixar aqui uma mensagem á visitante do blog que assina como N.G. Parece-me que está um pouco desmotivada para comentar, não se sinta incomodada com as criticas, pois qualquer comentário está sujeito a ser criticado, por isso continua a visitar-nos e a comentar as nossas peripécias, se possível divulga este blog com os teus amigos………..
PS: Carlos C.

Edu@rdo disse...

E fica convidada (N.G.)para um dia ir num dos nossos passeios domingueiros.

Anônimo disse...

Obrigada pelo convite não recuso, poderá surgir oportunidade...
Não me parece é que vá aí de propósito, pois ainda ficam a uns bons kms de distância...

Fiquem bem e boas pedaladas

N.G.