MAPA DE VISITAS MUNDIAIS

free counters

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

POR ENTRE NEVOEIRO, CAÇADORES E PEGACHOS...















Dois de Novembro, domingo, rescaldo do feriado festa de todos-os-santos, oito da manhã, cinco graus de temperatura, nevoeiro intenso, eis as condições ideais para pedalar… mas no vale das mantas, claro! Bem e já agora se não é pedir muito, de preferência acompanhado…
Mas qual vale das mantas qual caraças…
Cinco cabeças no ar, Filipe, Quim, Carlos, Eduardo e Luís, investidos na pele de D. Sebastião, pegaram nas bikes e romperam por entre a intensa neblina, desafiando a cada pedalada os cinco célsius que se faziam sentir. Que o diga o Filipe que se apresentou de perninha ao léu exibindo uma pele de fazer inveja a qualquer galinha. Confesso que tive pena do rapaz, mas isto sim, é espírito de Bttista.
Só havia uma hipótese. Pedalar, pedalar e mais pedalar para aquecer, nem mais!
Vamos a isso…
Saída de Arreciadas, pai neto acima, camelo, e aqui a primeira dica do nosso guia, o camarada Quim “vamos por aqui” e fomos…
Mas lá está o velho ditado “Quem se mete por atalhos, mete-se em trabalhos”, nem mais! Volvidos cerca de cem metros e ai estão eles com as meninas às costas a trepar por cima de enormes pinheiros caídos na estrada. Fez-me lembrar a pista de obstáculos na tropa, a única diferença é que lá era de mochila e G3 e aqui era com a minha menina!
Subimos à Ameixeira, direcção Casal do António, Coalhos, Pego e aqui nova dica do Quim “vamos por aqui para o monte do Negrinho” e fomos…
Desta vez acabamos brindados com um vale sem saída!... O guia estava azarado. Novamente meninas às costas, sobe mato, desce mato, passa lavrado, olival e finalmente o abençoado alcatrão do negrinho.
Do monte do Negrinho subimos ao monte da Burra e mais à frente novamente travados….
Não, agora não foi por dica expressa do Quim, mas o homem levava-nos que nem uns alvos direitinhos à carreira de tiro… Safa!
Valeu-nos o guarda da reserva de caça, que muito bem nos alertou para o perigo daquele itinerário, pois haviam muitos caçadores na zona o que aliado ao intenso nevoeiro potenciava, e de que maneira, o risco de acidente. Como prevenir é o melhor remédio, toca a voltar para trás.
Foi neste momento que nos cruzámos com três camaradas Bttistas pegachos, o Valério, o João Paulo e o Paulo Sérgio, que após difíceis negociações, aceitaram substituir o nosso guia e tirar-nos dali!
Agora no comando, Pegacho substitui Pegacho e aí vamos nós pedalando cabeço acima à descoberta de um afamado single-track, mas afinal nem foi preciso lá chegar para começar a adrenalina, pelo menos para mim, que senti bem na pele o quanto ali as pedras são duras… e que realmente não é o melhor sitio para um homem se espojar!
Bem, single-track à vista e vamos nós a dar-lhe por ali abaixo por entre valas, pedras e troncos com a adrenalina ao rubro. Espectacular!
Direcção ribeira do Negrinho, e aqui há que dar os parabéns ao homem, obrigado Sócrates por te teres lembrado de nós e teres mandado ali fazer uma ponte para não molharmos os pés, que com este frio diga-se, não é nada agradável, és um mãos largas…
Negrinho acima, serpenteando entre um sobe, sobe e desce e lá estamos nós no alto da Ameixeira todos com os bofes a sair pela boca, mas que foi porreiro, lá isso foi.
Foto de grupo, e agora que estávamos guiados, foi o agradecimento aos camaradas Pegachos que seguiram para um lado e nós para outro.
Novamente um Pegacho no comando, agora o Carlos a marcar o trilho…
Ameixeira direcção à padeira, descida aos vales, direcção ao monte do caldeiro e aqui mais uma abençoada ponte para passar a ribeira. Direcção a Bemposta, campo de futebol acima em direcção à mata dos Ingleses, e aqui cheguei a pensar que o Carlos não andava bem com a vida! Já com quarenta e tal nas pernas, o homem acabava de escolher uma subida longa com pedra solta, daquelas que maça, maça e parece que nunca mais acaba, mas acabou!
Mata dos Ingleses, direcção ao Casal do Vale Cortiças, onde chegamos após mais uma longa e bonita descida. Alcatrão à vista, por aqui “rolámos” até ao Tobas.
E foi mais ou menos assim que se percorreram cinquenta e quatro quilómetros por entre nevoeiro, caçadores e Pegachos…
P`ra semana há mais, divirtam-se!

Texto: L.I.
Fotos: F.M.
Cartografia: C.C.

9 comentários:

Anônimo disse...

RESSALVA

Deve ler-se:

Dois de Novembro, RESCALDO DO feriado...

Ass: L.I.

Anônimo disse...

Bem meus amigos, a manhã estava realmente fria, era preciso mesmo um bom agasalho, coisa que um bom fato de treino não resolve-se, o pior foi os líquidos e os sólidos que ficaram em casa, pois é, diz o ditado quem vai para o mar aviasse em terra, tenho que agradecer ao Luís e ao Joaquim por me terem abastecido.
Em relação ao percurso que o Joaquim escolheu, pareceu-me que foi de propósito, estava apenas a testar o nosso sentido de orientação e também a parte física, é que em São Lourenço não se podemos perder e temos muito que dar ao pedal e se calhar andar com as Burras as costas.
Queria aqui também corrigir um parágrafo do comentário do nosso repórter, dos três camaradas Pegachos a que se refere, só o João Paulo Gonçalves é Pegacho, o Paulo Sérgio julgo que é de São Miguel do Rio Torto e o João Valério é de Abrantes, mas de certo que não é um Pegacho??????
Boas Pedaladas,,,,,,,,,,,,,,
Ass: Carlos Cabedal

Anônimo disse...

Granda texto... p quem gosta de romances do D.Sebastião rrsssss
Contrataram o Saramago p escrever os vossos relatos?
Gostava + dos vossos passeios quando era c pouco bla bla bla e mais fotos...
Mas isto é so uma opiniao fiquem bem e continuem a pedalar tanto quanto escrevem
Saudaçoes bttistas

Anônimo disse...

Homem, Homem é aquele que se indentifica!
Pedro

Edu@rdo disse...

Eu acho que está bom com as crónicas, mais não seja para aprendermos um pouco da geografia da zona. Quem sabia que existia uma Mata dos Ingleses, um Pai Neto, Ameixeira ou Negrinhos? Pois, poucos, alguns e muitos, conforme os conhecimentos da área. Melhor ainda ficaria o blog com um print do "google maps" da volta efectuada.

Anônimo disse...

Ao camarada anónimo:

Antes de mais agradeço o teu comentário/opinião, pois só com feed-back nos podemos ajustar com vista a melhorar. Se puderes envia-me alguns textos que tenhas escrito para eu poder fazer os meus parecidos com os teus e assim já sei que vais gostar.
Camarada, desculpa-me mas a minha opinião é diferente, acho que qualquer relato, seja ele qual for, quanto mais promenorizado e detalhado, mais envolve o leitor na história, levando-o por vezes a imaginar-se nas acções descritas.
Comigo como leitor acontece assim. Contigo não? ou será que lês pouco e mál e estás mais habituado a ver só as imagens, como faz o meu filho nos livros de banda desenhada?
A título de exemeplo aconselho-te a ler os comentários ao texto "A DESCIDA DO PICOTO VISTA POR MIM"
Cumprimentos camarada anónimo, e já agora vai comentando.

Ass: L.I. (Luís Inácio)

Edu@rdo disse...

Espectáculo Luís, foste mais rápido do que a bicicleta a desenhar o percurso.
A foto em que a malta vai com as gingas às costas no meio do nevoeiro, está fantástica e mostra bem o divertido que são estes passeios domingueiros, andando a gente muitas vezes por trilhos em que as bicicletas não passam, ou as pernas não sobem, mas que servem para tirar belas fotografias...

Anônimo disse...

Peço desculpa se magoei os sentimentos com a minha opinião...
Mas um blog torna-se mais atractivo e dinâmico se tiver menos texto e mais fotos(pois normalmente tanto eu como amigos meus veem espreitar durante periodo de trabalho, e não há muito tempo para ler grandes textos), foi nesse sentido o meu comentário.
Se não aceitam uma critica em tom de brincadeira... temos pena, pareciam pessoas divertidas.

N.G.

P.S.- Não é por este mal entendido que deixo de vir ver o vosso blog(que até está adicionado nos meus favoritos), se não tiver tempo de ler os textos paciência...rrsss

P.S.2- Desculpem a demora a responder e se me alonguei muito no texto....

P.S.3- Homem, Homem....não sei como é...rrrsssss Mulher às vezes esquece-se de assinar e quando assina vão só as iniciais...rrssss

Anônimo disse...

Tenho que meter o bedelho...

Aos amigos do grupo Btt Cabeço das Águias e em particular aos activistas deste blog uma palavra, que continuem a escrever o que sentem, porque as fotos não teem os nomes dos sitios por onde passam nem tão pouco elucidam as diversas peripércias que acontecem nos vossos passeios.
Assim só as palavras trazem até nós tudo aquilo que gostamos, exactamente a vivência dum passeio.
Relativamente a esse autsider, (N.G.), que opina o contrário, sinceramente, tem muito mau gosto...
Um abraço, continuem que eu gosto!

David, (Vale de Horta)