MAPA DE VISITAS MUNDIAIS

free counters

terça-feira, 20 de outubro de 2009

II Passeio Btt Aldeia das Casas Baixas











Domingo, 8:30 da matina e o pessoal encontra-se para mais um belo passeio. Por esta hora parecia que o Inverno já tinha chegado tal era o frio, no entanto o céu deixava transparecer que mais minuto menos minuto e os quentes raios de sol iriam chegar.


Depois de levantar a inscrição, preparar tudo, de uns metros a rolar para aquecer e para testar as máquinas (as pernas e a bicla), preparamo-nos para a partida. Como não podia deixar de ser com algum atraso já que há pessoal que insiste chegar cinco minutos antes hora prevista para a partida e depois quem cumpre é que paga.

Dada a partida seguimos por dentro da Vila até entrar no percurso propriamente dito! Logo ai um prenuncio do que iria acontecer várias vezes, o primeiro engano no percurso pelo reduzido número de fitas colocadas… Ora os primeiros iam tipo foguete e não viram as fitas logo tiveram que dar meia volta (excesso de velocidade é o que dá :) ).

Logo depois e ao longo dos primeiros km’s e como o pessoal estava com frio nada como umas belas subidas para aquecer.

Passadas as dificuldades iniciais, o percurso tornou-se na generalidade mais rolante mas também muito mais técnico pela constante companhia de muita pedra solta, cascalho e areia.

As paisagens essas eram belas.. Começamos por passar junto ao Tejo, depois circundamos a Central sempre num sobe e desce constante com as Chaminés como pano de fundo, até que por fim rolamos mais para sul para o Brunheirinho para depois circular novamente em direcção ao Pego passando pelo Fôjo e por Coalhos entre outros.

As imagens foram-se diversificando, e alternavam entre: subidas duras e com muita pedra solta que dificultava a tracção, descidas vertiginosas e muito loucas mas também perigosas (um ou dois ganchos mais apertados) e autênticas dunas tal era a quantidade de areia, especialmente antes do segundo abastecimento.

Globalmente foi um percurso muito bem escolhido e que é a imagem de marca desta zona.

Os abastecimentos foram os necessários embora no primeiro talvez fosse melhor outra sinalização ou local.

O “chop chop”estava bem delicioso: o belo do caldo verde, as febras e a entremeada grelhadas, a salada, as batatas fritas, o arroz doce e as mines (que segundo sei acabaram depressa :) )

Tudo pelo melhor! Melhorem sobretudo as marcações e será para continuar!
Os bravos atletas do Cabeço das Águias terminaram todos problemas mais uma vez!

Ao fotografo, mecânico e não sei mais o quê Carlos Cabedal uma rápida recuperação! De volta aos trilhos rapidamente!

Texto: M.S.
Fotos: C.C.

4 comentários:

Luís disse...

Éh pá, eu só fui até S. Facundo... Vocês foram até ao Brunheirinho?
pois por isso...
Também fiquei admirado quando cheguei à meta e só tinham chegado dois na distância maior.
Bem, na verdade confesso que não tinha muita motivação para participar neste passeio, por vários motivos, mas como a armada do Btt Cabeço das Águias se preparava para estar presente, então eu não podia faltar.
Mas se a motivação era pouca e o pressentimento estranho, foram só 500m sem o carro guia para começar as comédias...
Era o primeiro engano de percurso para alguns dos que seguiam na frente, e se vínhamos embalados a descer! Nessa altura seguia na minha roda um afamado Bttista da casa, que nem uma palavra disse, "safa, 400 ou 500 metros de borla já cá cantam". De certo que lhe chamou um figo! Mas não custava nada dizer "é por aqui".
Posto isto, havia que reparar o dano. E foram cerca de 2/3km`s a um ritmo forte e lá estávamos de novo encostados aos pontas de lança. Pensei ser bem mais difícil... mas não! Foi chegar e andar.
Foram cerca de 20Km`s a um ritmo muito forte, ajudados por inúmeros bafos de fumo vindos do motoqueiro de serviço, e apenas 5 conseguiram acompanhar aquele lingrinhas (primeiro) que parecia um foguete, findos os quais ficamos a pastar atrás da central... Era um emaranhado de caminhos sem sinais de fitas ou setas, mas um índio estava ali! Com a língua bem de fora é certo, mas era do Btt Cabeço das Águias!
E se durante estes cerca de 20 Km`s as pragas foram muitas ao motoqueiro, naquele momento era o mais desejado ali naquele local, e as preces resultaram. Cerca de 10m depois lá vinham os bafos do motor em nossa direcção, "áh grande motoqueiro, és o maior" dizia o Hugo Moreno, que momentos antes lhe tinha prometido umas taponas pelas gazadas mesmo à nossa frente! “ Foram os caçadores que lixaram as fitas pá”
De novo nos trilhos e mais um enorme esforço para tentar chegar aos Bttista que se haviam adiantado. Até doía o coração de olhar em frente, tão longe que eles iam… mas ao chegar ao hotel as tropas estavam juntas de novo.
Uns para um lado, outros para outro e o abastecimento não se deixava ver, “deve ser ali mais à frente” disse um. Mas qual quê! Já tinha ficado para trás! e água viste-a… “estou tramado” pensei. A meio do percurso e já sem água! Valeu-me o meu amigo e camarada jacinto, se não, só a ribeira do negrinho é que me safava.
E foi assim que entre amigos, por belos trilhos, com enganos e desenganos, abastecimentos e falta deles, águas e minis racionadas, que se passou uma manhã a pedalar…
Desculpem a “seca”, até breve.

Ass.: Luís Inácio

BttCabeçodasAguias disse...

Um passeio com trilhos muito bons e duros mas foi pena que o resto da organização não estivesse ao nivel dos trilhos. Abastecimento na central o artista do Hotelqueria racionar a água, marcações dificeis e almoço de qualidade mas com bebida racionada, vamos ver para o ano.

Boas pedaladas, Pedro Diogo

Luís disse...

Eu sou claramente suspeito para opinar de uma forma mais visível (Forum btt)à cerca deste passeio e assim sendo, reservo-me a esse direito.
No entanto, muito me admiro do que lá li, parceu-me brando demais...
Nem me refiro às marcações... agora uma água para cada um no 1º abastecimento, que por sinal muitos nem o viram, e não haver uma cerveja para beber depois do almoço, bem...
De atractivo e estimulante recordo os camaradas Bttistas e os trilhos... ou alguém viu mais?

Ass.: Luís Inácio

Edu@rdo disse...

O Zmilhas gravou o percusro de 36 km http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=580308